Saiba como empresas brasileiras têm lucrado mais na crise!

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) divulgou dados mostrando que, de junho de 2013 em diante o número de conexões de microgeração de energia subiu de 23 para 30.900, sendo 99% dessa quantia de energia solar. Algumas empresas brasileiras enxergam os painéis solares como uma alternativa para escapar do alto custo da energia elétrica no País. E assim, conseguem reduzir os custos para lucrar mais.

A energia solar no Brasil está em constante crescimento, além de ser muito promissora e bem-vista pelas empresas brasileiras. Há pouco tempo, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou o financiamento para pessoas físicas interessadas em micro geração de energia solar, o que deu um empurrão no setor. As taxas do empréstimo variam de 4,03% e 4,55% ao ano, prazo de carência de 3 a 24 meses e 12 anos para pagar. Que rapidamente foi esgotado, devido a grande demanda por soluções que tragam retorno certo e com índices acima de outros tipos de investimento.

A geração de energia limpa e sustentável, como a energia solar, segundo empresários, tornou-se uma alternativa viável para empresas saírem do vermelho. Essa solução tem sido adotada por empresas de todos os portes, em que incentivos do governo, como crédito para a adoção dessas tecnologias e a geração distribuída, têm sido motivações. A energia solar acrescenta valores positivos à imagem da empresa, que por meio da adoção de energias sustentáveis, mostra que se preocupa e contribui para a sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

O Brasil é considerado um país com grande capacidade para aproveitamento da fonte solar. Dessa forma, estudos apontam que o território brasileiro, anualmente, recebe mais de 2.200 horas de raios solares com uma potência que equivale a 15 trilhões de megawatts-hora, isto corresponde a 50 mil vezes o consumo nacional de eletricidade.

Especialistas em Marketing entendem o uso de energia solar fotovoltaica como uma vantagem competitiva para empresas. Essa vantagem competitiva, segundo os profissionais da área, são aspectos que diferenciam a empresa dos seus concorrentes. A energia solar não só reduz os custos da conta de luz, mas também valoriza a imagem da empresa, que mostra estar cuidando do meio ambiente e atende às demandas populacionais por produções sustentáveis.

Além de tornar a empresa mais competitiva no mercado, a energia solar traz ganhos econômicos. O painel solar tem os custos de manutenção  baixos, sendo apenas necessária a limpeza do equipamento. Vale salientar que os painéis apresentam longa durabilidade, e por isso, seu custo será diluído nos anos de uso e baixa manutenção.

Fonte: Exame

O crescimento do setor fez com que os preços caíssem de forma abrupta, segundo o relatório da Grenner (empresa especializada no setor fotovoltaico brasileiro). Se compararmos junho de 2016 e junho de 2018 a queda no preço total médio foi de 37% do valor total. Por isso, o mercado brasileiro hoje tem os preços muito parecidos com outros mercados onde a energia fotovoltaica já consolidada a mais tempo, como por exemplo a Alemanha. Dessa forma, a tendência é que os preços a partir do mês de agosto acompanhem a flutuação do dólar e não tendem a cair muito em relação ao valor atual.

Acompanhando o desenvolvimento do setor solar, a Smartly se mantém como a melhor escolha para realizar o seu objetivo de reduzir o custo com energia, sempre buscando trazer as novidades do mercado para os nossos clientes e maximizar seus resultados! Fazer uma escolha por um sistema solar é algo inteligente, mas fazer a melhor escolha é ser Smartly!  Não seja apenas inteligente, seja Smartly.

 

[button href=”https://www.smartly.com.br/orcamento/” style=”emboss” size=”large”]Eu mereço ser Smartly![/button]